Corinthians - História
   2006 à 2013
 Visite o Blog!
 Escolha o período  da história
 1910 à 1912
 1913 à 1939
 1940 à 1954
 1955 à 1976
 1977 à 1989
 1990 à 2005
 2006 à 2013
 2014 à 2016
 Home
 Corinthians
 Todos os Jogos
 Últimos Jogos
 Próximos Jogos
 História
 Títulos
 Jogos Históricos
 Ídolos
 Escudos
 Curiosidades
 Hino
 + Corinthians
 Blog
 Mais Futebol
 Almanaque das
 Copas
 Todos os Jogos
 das Copas
 O Autor
 Quem sou
 Contato
 Minhas fotos
 Reconhecimento
 Colaboradores
 Outros Sites
 Site Oficial
 Outros Links

Compartilhe:

2006 à 2013 - Da queda ao Bi Mundial


Escolha um ano: 2006 | 2007 | 2008 | 2009 | 2010 | 2011 | 2012 | 2013


2006

O Corinthians entra no ano de 2006 com mais uma oportunidade de conquistar a Taça Libertadores. A torcida estava esperançosa, afinal, tínhamos um belo time, comandado pelo argentino Carlitos Tevez. Mas o que se viu foi mais um vexame continental. Mais uma vez, o Coringão foi elminado pelo River Plate, nas Oitavas.

Mas essa não foi a única decepção do ano. No Paulistão, o Corinthians também não fez uma boa competição, chegando apenas em 6º lugar.

Para piorar, após a Copa do Mundo, Tevez, Mascherano e outros jogadores deixam a equipe.

Na sulamericaca e no Brasileirão, campanha discreta. Na competição sulamericana, chegou até as Oitavas, onde perdeu para o Lanús, da Argetina. No Brasileirão, apenas uma 9ª colocação.

2007

Nunca a Fiel imaginaria que esse seria o pior ano da história alvinegra...

No Paulistão, mais uma vez o Corinthians deixa a desejar e chega em 9º. Na Copa do Brasil, tropeço perante o Náutico, nas oitavas.

Na Sulamericana, outro vexame: Eliminação perante o Botafogo do Rio, logo na Primeira Fase.

Mas isso não é nada perto do que estava por vir...

O Corinthians inicia o Brasileirão de 2008 com boas apresentações e vitórias importantes, como os 3 x 0 no Cruzeiro, em pleno Mineirão. Na 7ª rodada, o Timão era um dos líderes do campeonato.

Mas a partir daí as coisas começaram a complicar. O time começa a perder pontos importantes e começou o rondar a zona de rebaixamento. Para piorar, o time começa a ser notícia nas páginas policiais. Kia, Dualib e Cia se complicam com investigações policiais.

Em meados de setembro, Dualib entrega o cargo e assume Andres Sanches.

Porém, dentro de campo, as coisas iam de mal a pior. O Corinthians colecionava vexames dentro e fora de casa: 3x0 para o Cruzeiro, 5x2 para o Atlético MG, 1x0 para o Paraná, 2x1 para o Sport, 1x0 para o Náutico, 2x1 para o Flamengo, 2x2 perante o Atlético PR. Isso foram alguns das muitas derrotas que o Timão obteve.

A briga para não cair estava acirrada entre o Coringão e Goiás.

28 de novembro. Um dia que poderia ser um dos mais felizes da história alvinegra, pois era a oportunidade de sair de vez da ameação de rebaixamento. Corinthians x Vasco. Pacaembu. O clima não poderia ser melhor. A Fiel lota o estádio, com fogos, sinalizadores e energia. Era o dia da redenção! Penúltima rodada. Uma simples vitória deixava o Corinthians matematicamente livre da ameaça de rebaixamento. Em campo, um time esforçado, mas péssimo tecnicamente. Tentava, atacava e nada. O tempo passava, a torcida não parava de cantar, mas o gol não saía. Segundo tempo. 45 minutos para fazer um gol. E nada dele sair. Até que veio a ducha de água fria. 18 minutos. Alan Kardec faz o gol que cala o Pacaembu. A Fiel não acredita no que vê. E chora. Chora por saber que agora "só" restava vencer o Grêmio, em pleno Estádio Olímpico, no domingo, ou torcer por uma derrota do Goiás parante o Inter, no Serra Dourada. O mesmo Inter que ainda não aceitava a perda do título de 2005.

E chega o fatídico dia. 2 de dezembro. Olímpico lotado e todo o Brasil (inclusive torcedores do Internacional) torcem pela queda do Timão. Logo a 1 minuto de jogo, o Grêmio abre o placar, com gol de Jonas. Aos 28, ainda do primeiro tempo, Clodoaldo empata para o Timão.

No Serra Dourada, o Inter faz o primeiro gol, mas toma o empate logo em seguida. Porém, o lance de maior suspense ainda estava por vir. Penalti para o Goiás. Paulo Baier cobra e o goleiro do Inter defende. Mas o juiz manda voltar, alegando que o arqueiro colorado se adiantou antes da cobrança. O mesmo Paulo Baier cobra. O mesmo goleiro defende. E o mesmo juiz manda voltar. Aí não tem jeito. A Fiel não acredita. E depois falam que o Corinthians é sempre beneficiado pela arbritagem. O Goiás troca o cobrador. E ele faz. Goiás 2 x 1 Inter.

Enquanto isso no Olímpico, o Corinthians não demonstrava o menor sinal de reação. 43 minutos. A Fiel já começa a chorar. 49 minutos. O juiz apita o fim do jogo. O Corinthians é rebaixado para a Segunda Divisão do futebol brasileiro.

A Fiel chora, mas logo as lágrimas são substituídas por gritos e promessas de amor. Em meio a sentimentos de tristeza, paixão e esperança, um grito ecoa nas arquibancadas do Estádio Olímpico: "Eu nunca vou te abandonar, porque eu te amo! Eu sou Corinthians!"

E realmente nunca o abandonaram.

No dia seguinte, dia 3, após as imensas gozações e tirações de sarro dos rivais no trabalho, escola e nas ruas, o corintiano sabia: o ano não seria tão ruim assim. No dia 5 de dezembro, é apresentado o novo técnico do Timão, responsável por levar o time de volta a Série A do Brasileirão: Mano Menezes.

Junto com ele, a diretoria traz diversos jogadores, como Douglas, Chicão, Elias, André Santos, entre outros.

O Marketing do Timão inicia uma série de campanhas, que foram verdadeiros sucessos, entre elas, a camiseta "Eu nunca vou te abandonar", a 3ª camisa de jogo, na cor roxa, com o slogan "Só o corintiano é rouxo", etc.

2008

O ano de 2008 começa com a Fiel apreensiva. Era o ano da subida. O timão TINHA que subir.

Mas antes de iniciar sua saga na segunda, o Timão disputa o Paulistão. O time até que vai bem e chega na última rodada com chances de classificação para as semifinais. Mas uma derrota por 3 x 2 frente ao Noroeste termina com as chances do Coringão do torneio estadual.

Na Copa do Brasil, o Corinthians faz uma boa campanha. Após emilimiar Barras do Piauí, Fortaleza, o Corinthians pega o Goiás nas oitavas. Com uma derrota por 3 x 1 no primeiro jogo, disputado no Serra Dourada, todo mundo já dava como certa a eliminação alvinegra. Mas aqui é Corinthians. Com um primeiro tempo arrasador no jogo de volta, o Timão faz 4 x 0 no Góías e parte para as quartas, onde enfrentaria um antigo algoz: o São caetano.

Ver "Jogos Históricos - Corinthians 4 x 0 Goiás (2008)".

Mas dessa vez eles não tiveram chance: duas vitórias corintianas (2x1 e 3x1) e vaga na semifinal, contra o Botafogo, do Rio. Com derrota por 2x1 fora e vitória pelo mesmo placar em casa, o jogo vai para os penaltis, onde Felipe se consagra e leva o time para a final da competição.

Nessa altura do campeonato, a Série B já estava no início e o Corinthians seguia firme rumo a elite.

Voltando à Copa do Brasil, o temido Sport (que já tinha eliminado Palmeiras, Inter e Vasco) seria o adversário da final. E dessa vez não deu para o Coringão. Com uma vitória por 3 a 1 no Morumbi e uma derrota por 2 x 0 na Ilha do Retiro, o Corinthians dá adeus ao sonho do título.

Mas o Corinthians não se deixa abater e segue rumo à conquista da Série B, onde sobra na competição e bate recordes atras de recordes.
Ver "Títulos - Campeonato Brasileiro Série B 2008".

Após a conquista do acesso e do título, a Fiel respira aliviada.

Mas não sabia que o ano ainda reservava uma das maiores alegrias dos últimos tempos.

9 de dezembro. O Corinthians anuncia a maior contratação do futebol brasileiro: Ronaldo Fenômeno. O assunto é manchete no mundo todo. O título da Série A do São Paulo, conquistado dias antes, é totalmente ofuscado pelo Corinthians e Ronaldo.

A apresentação do jogador, no dia 12, foi a maior da história do futebol brasileiro. Mas de 10 mil pessoas lotam a fazendinha para prestigiar o maior artilheiro da história das Copas na época.

Junto com o Fenômeno, o Corinthians traz outros jogadores, como Cristian, Jorge Henrique, Souza, dentre outros.

2009

2009 começa com grande esperança por parte da torcida corintiana. O principal objetivo do ano: conquistar uma vaga na Libertadores de 2010, ano do centenário do clube.

E para começar bem o ano, mais um título da Copa São Paulo de Futebol Júnior, o 7º do clube!

Antes do início das competições oficiais, o Corinthians realiza uma série de amistosos. O principal deles foi contra o Estudiantes, da Argentina, no dia 17 de janeiro, no Pacaembu. Jogando um bom futebol, o Corinthians venceu por 5 x 1.

O Timão havia dado seu recado: eu voltei!

E voltou mesmo.

Com uma belíssima campanha, o Corinthians conquista o 26º título paulista de sua história, de forma invicta.

Com o status de campeão paulista, o Timão vai em busca do objetivo principal: vaga na competição sulamericana. O caminho mais fácil? Ganhar a Copa do Brasil.

E não deu outra: com um futebol de encher os olhos, o Coringão conquista o tri da Copa do Brasil e uma vaga na Libertadores no ano do centenário.

Com os dois títulos nas duas competições disputadas no ano, o Corinthians disputa o Brasileirão de forma tranquila e termina apenas na 10ª colocação, apenas se preparando para o ano seguinte, que seria histórico.

2010

O Corinthians entra no ano do Centenário visando a conquista da Libertadores da América, único título que faltava para a galeria de glórias alvinegras.

Devido a isso, o Corinthians jogou alguns jogos do Paulistão com times mistos. Com uma campanha irregular, o Timão terminou a primeira fase em 5º lugar, ficando fora das semifinais do campeonato.

Apesar disso, o time fez jogos memoráveis, como a vitória por 1 x 0 diante do Palmeiras, em 31/01/2010, que terminou com o jejum de 3 anos (ou 7 jogos) sem vitória frente ao nosso maior rival.

Mas talvez o maior jogo do Paulistão 2010 para o Timão foi a vitória por 4 x 3 contra o São Paulo, no dia 28/03/2010. O Timão chegou a fazer 2 x 0 e 3 x 1 no placar, mas permitiu o empate em 3 x 3. Aos 48 minutos, Iarley, com a ajuda do zagueiro são paulino, faz o gol da vitória! Dramática, como a Fiel gosta.

Mas o que o Corinthians queria mesmo era a conquista da Libertadores. Porém, mais uma vez, ela não veio.

O grupo do Corinthians na primeira fase teve a participação, além do Timão, de Racing do Uruguai, Independiente de Medelín e Cerro Porteño.

Como sempre, o Coringão faz uma campanha perfeita na primeira fase, ganhando 5 jogos e empatando apenas 1, contra Independiente de Medelín, na Colômbia (1x1) e terminando como o time de melhor campanha entre todos os participantes da competição continental.

Quis o destino que o pior 2º colocado da primeira fase fosse o Flamengo, adversário do Corinthians nas Oitavas. No primeiro jogo, vitória do Flamengo por 1 x 0 no Maracanã, em um gramado muito prejudicado pela chuva.

No jogo de volta, o Pacaembu recebe grande público e o clima é de confiança total. O Corinthians começa com tudo e o 1º tempo termina com 2 x 0 para o Timão. Mas a alegria durou pouco. O Flamengo marca logo no início do 2º tempo com Wagner Love e enterra o sonho alvinegro de conquistar o torneio sulamericano no ano do centenário.

Ao final do jogo, a torcida aplaude o time, sabendo que não faltou vontade e raça para buscar o resultado e a classificação.

Com isso, a última esperança de título no ano em que o Coringão completa seu primeiro centenário é a conquista do Brasileirão.

A campanha do Corinthians no Campeonato Brasileiro foi irregular. O time chegou a liderar a competição e dava pinta de que iria conquistar o título, até de forma antecipada.

Na metada do primeiro turno, Mano Menezes sai para a Seleção. Para o lugar, o clube traz Adílson Batista.

Ver "Curiosidades - Técnicos - do Corinthians para a Seleção".

Pouco antes do final do primeiro turno, a data que todo corintiano esperava chegou: 1º de setembro de 2010. O Corinthians comemora 100 anos de vida, glórias e lutas. Milhares de pessoas vão às ruas comemorar o primeiro século corintiano. No evento realizado para a comemoração, o maior presente: Andrés Sanches revela o que a torcida esperava por muitos anos: a construção do tão sonhado estádio. O local escolhido foi Itaquera, na Zona Leste.

Junto com a revelação da construção do estádio, outra bomba: o estádio é escolhido pela Comissão da Copa de 2014 como o estádio da cidade de São Paulo para a Copa e Palco do jogo de abertura do Mundial. É muita emoção para um dia só!

Passadas as devidas comemorações, o torcedor acreditava cada vez mais no título brasileiro, pois o time vinha embalado e conseguiu vitórias importantes no início do 2º turno, como contra o Fluminense, no Rio (2 x 1) e contra o Santos, na Vila (3 x 2).

Porém, no meio do 2º turno, o Timão amargou 5 jogos sem vitória, inclusive uma derrota por 4 x 3 em casa, contra o pequeno e inofensivo Atlético Goianiense, caiu na tabela e viu o sonho de conquistar o campeonato ficar mais distante.

Nesse momento ocorreu a troca de técnico que entraria para a história do clube: Tite retorna ao cargo após cinco anos da primeira passagem. Ninguém imaginava, mas começava ali um caso de amor entre Tite e a torcida corinthiana. Seis anos depois, Tite assumiria a Seleção Brasileira com o status de maior técnico da história do Corinthians. Mas calma, chegaremos lá.

Voltando para 2010, o time não desiste e consegue outros bons resultados: 1 x 0 contra o Palmeiras, 1 x 1 contra o Flamengo, no Rio e 2 x 0 contra o São Paulo.

Na noite de 13 de novembro de 2010, um jogo que poderia ter sido histórico: Corinthians x Cruzeiro, no Pacaembu. O Timão precisa desesperadamente da vitória para chegar a liderança, faltando apenas 3 jogos depois desse. O time atacava, atacava e nada. Até que aos 43 minutos do segundo tempo, o juiz marca penalti a favor do Coringão. Ronaldo cobra, marca e deixa o Corinthians na liderança, dependendo apenas de si mesmo para ser campeão. Foi o último gol da Ronaldo com a camisa do Corinthians.

Mas o Corinthians não conseguiu se segurar no topo da tabela. Empatou com o Vitória (1 x 1), ganhou do Vasco (2 x 0) e empatou na última rodada com o Goiás.

Com esses resultados, o Timão não só perdeu o título para o Fluminense, como foi ultrapassado pelo Cruzeiro. Com a 3ª colocação, o time não estava com a vaga na Libertadores de 2011 garantida. Seria preciso disputar a Pré-Libertadores, contra o fraco Tolima, da Colômbia. Tarefa mole para Ronaldo, Roberto Carlos e Cia... Mal sabiam eles o que estavam por vir...

2011

2011 começou com mais um Projeto Libertadores. O final, todo mundo já sabe, né? O Corinthians é eliminado pelo Tolima, após empate sem gols no Pacaembu e derrota por 2 x 0 na Colômbia, no dia 2 de fevereiro.

A torcida protesta de forma violenta e faz com que Roberto Carlos troque o Timão pelo futebol russo. Dias depois, Ronaldo anuncia o fim da carreira. Enquando uns saem, outros chegam: Liedson volta ao Corinthians após quase 8 anos.

Com a eliminação precoce na competição continental, restava o Paulista para salvar o 1º semestre. O time faz uma campanha segura o suficiente para se classificar em 3º lugar, com destaque para Liedson, que marca gol atrás de gol

Nas Quartas-de-final, disputada em jogo único no Pacaembu, O Corinthians vence o Oeste por 2 x 1, gols de Liedson e Willian, e se classifica para a semifinal, onde enfrentaria o arquirival Palmeiras.

Também em jogo único, a semifinal foi dramática. O timão sai atrás do placar, mas Willian empata o jogo e leva a decisão para os penaltis. Na primeira série de cobranças, ninguém perde. Nas alternadas, deu Corinthians: 6 x 5

Na outra semifinal, o Santos vence o São Paulo por 2 x 0.

Apesar do esforço e da garra, o Corinthians não conseguiu segurar o Santos de Neymar e Ganso. Com empate em 0 x 0 no Pacaembu e derrota por 2 x 1 na Vila, o Corinthians fica com o vice campeonato. A única coisa boa é a artilharia de Liedson, ao lado de Elano, do Santos: 11 gols cada.

Com a saída de Ronaldo e Roberto Carlos, o Timão contrata Adriano, em 29 de março. Foi uma contratação arriscada e muito criticada. Em 19 de abril, durante um treinamento, Adriano, que ainda não havia estreado pelo Timão, sofreu um rompimento no Tendão de Aquiles e teve que passar por uma cirurgia que o deixou afastado por 6 meses. Sua estréia ocorreu no dia 9 de outubro contra Atlético GO, em partida válida pelo Campeonato Brasileiro.

E por falar em Brasileirão, vamos falar um pouquinho sobre ele? Com um início arrasador e um final cardíaco (não podia faltar, né?) o Corinthians conquista o Pentacampeonato Brasileiro!

Mas essa não foi a única conquista do ano de 2011. No dia 20 de outubro, a FIFA finalmente oficializa o Estádio do Corinthians como a abertura da Copa do Mundo de 2014.

E assim terminou o ano de 2011, que começou com umas das maiores decepções da história alvinegra e terminou cheio de conquistas, dentro e fora de campo!

2012

O ano de 2012 começou com mais um "Projeto Libertadores". Os nove anteriores não deram muito certo e só trouxeram decepções e traumas.

Mas a primeira alegria do ano não veio da equipe profissional, mas sim com os juniores, que conquistaram o 8º título da Copa São Paulo de Futebol Júnior, um recorde!

Em paralelo com a disputa do torneio continental, o Timão disputou o Paulistão. Terminou em primeiro na primeira fase e iria enfrentar a Ponte Preta nas quartas, em jogo único, no Pacaembu.

E em um daqueles dias que nada dá certo, o Corinthians perdeu o jogo por 3 x 2 e se despediu do Campeonato Paulista. Nos restava a Libertadores.

Que, enfim, chegou. Invicta. Em cima do temido Boca Juniors. Para calar a boca de todos e acabar de vez com todas as angústias e traumas do torcedor.

Corinthians, Campeão da Libertadores da América de 2012!

Não nos falta mais nada. Ou será que faltava o Mundial conquistado no Japão, só pra calar de vez os Antis?

Como Campeão da América, o Corinthians conquistou o direito de disputar o Mundial de Clubes da FIFA, na Terra do Sol Nascente. O Chelsea da Inglaterra, seria o adversário da final, se não aparecesse um Mazembe no meio do caminho de ambos.

O Campenato Brasileiro serviu de "treino" para o Corinthians se preparar para a conquista de seu segundo título mundial.

E a preparação foi séria. O Timão, mesmo poupando jogadores na fase da Libertadores, e um pouco antes do Mundial, terminou o Brasileirão em 6º lugar, mostrando que estava pronto para a conquista do Bi.

A estréia do Corinthians no Mundial da FIFA seria no dia 12 de dezembro. Nove dias antes, o Corinthians embarca para o Japão, literalmente nos braços da Fiel.

O carinho e a paixão da torcida foram recompensandos: O Corinthians vence o Chelsea na grande final e é Bicampeão do Mundo!

Esse título foi a cereja do bolo da reconstrução do Timão. Começou com a volta à Serie A do Brasileirão, em 2008. Passou por Campeonato Paulista, Copa do Brasil, Campeonato Brasileiro, Libertadores, até chegar no título Mundial.

Em 5 anos, da Séria B ao topo do Mundo! Com direito ao maior patrocínio do país e estádio que abrirá a Copa de 2014.

Precisa falar mais alguma coisa? Sim, só duas palavrinhas: VAI CORINTHIANS!

2013

E continuou indo. Em 2013, o objetivo principal era unanimidade: conquistar o Bi da Libertadores. Para deixar o time mais forte, chegaram Renato Augusto, o zagueiro Gil e o renomado atacante do Milan, Alexandre Pato.

Como o objetivo principal era a conquista do torneio sulamericano, o Campeonato Paulista foi uma espécie de laboratório, com Tite colocando alguns reservas nas primeiras rodadas. Até o chinês Zizao teve chance na equipe.

E no dia 20 de janeiro, o Timão faz a sua estreia na Libertadores, contra o San Jose, da Bolívia, na cidade de Oruro. Mas não foi o começo que todos gostariam. O jogo foi marcado pela morte do menino Kevin Espada, morto por um sinalizador lançado pela torcida do Corinthians, logo após o Corinthians abrir o placar. 12 torcedores foram presos, mas não há provas de que foram eles os causadores do ato. Dentro de campo, empate em 1 x 1.

Começava alí uma Libertadores para esquecer.

Pelos acontecimentos ocorridos na Bolívia, a Conmebol pune o Corinthians: jogar com os portões fechados até o final de Libertadores e sem poder levar torcida nos jogos como visitante.

27 de fevereiro de 2013. Um dos momentos mais tristes da história do Corinthians. O Timão entra em campo no Pacaembu, em jogo contra o Millonarios, da Colômbia. Mas o silêncio toma conta do Pacaembu. Pela primeira vez em sua história, o Timão iria jogar no Pacaembu sem o apoio de sua torcida. A vitória por 2 x 0 ameniza um pouco a situação.

Dias após o jogo, a Conmebol volta atrás em parte da punição: torcida em casa, sem torcida fora. Menos mal.

Ver "Curiosidades - Os Jogos com portões fechados".

Na sequência, dois jogos contra o Tijuana, do México: derrota por 1 x 0, fora de casa, e vitória por 3 x 0, no Pacaembu.

Para terminar a primeira fase em primeiro lugar, mais duas vitórias: contra o Millonarios, na Colômbia, por 1 x 0 e San Jose, por 3 x 0, no Pacaembu.

Quiseram os deuses do futebol que o adversário das oitavas fosse o Boca Juniors. Não era mais um bicho-papão, mas ainda era um adversário de respeito, mesmo na má fase que passava o time argentino.

O Corinthians era mais time. Era favorito. E iria decidir em casa.

No primeiro jogo, em La Bombonera, o Corinthians decepcionou e não apresentou um bom futebol. Resultado: derrota por 1 x 0.

No jogo de volta, disputado no dia 15 de maio, o Pacaembu lotado cantava confiante a classificação. Mas foi uma noite trágica. Não pelo futebol. Mas pelos "erros" de arbitragem. Coloquei entre aspas porque, na minha opinião, não foi erro, mas roubo. O meliante? Carlos Amarilla.

O Zagueiro do Boca taca a mão na bola dentro da área. Segue o jogo.
Romarinho faz gol legal. Impedido.

Enquanto isso, Riquelme faz um golaço e coloca o Boca na frente do placar.

No segundo tempo, continua a mesma coisa: Paulinho faz gol legal. Gol.
Paulinho faz outro gol legal. Falta no goleiro.

Enfim, tivemos que marcar três gols para valer um. E o juiz lazarento, filho de uma puta, apita o fim de jogo.

Tristeza? Sim. Mas o que se viu nas arquibancadas foi uma total demonstração de paixão. Por dez minutos, a Fiel, chorando e batendo no peito, cantou para o Timão. Cantou o hino. Disse que nunca abandonaria o time.

Eu estava no Pacaembu naquela noite e afirmo que foi uma das maiores emoçoes que vivi no estádio.

Após a eliminação, ou remoção, como queiram, da Libertadores, sobrou o Paulista. Naquela altura, estávamos na final e jogaríamos o segundo jogo contra o Santos, na Vila.

Coitados, sobraram para eles a ira do Timão. Com o empate em 1 x 1, no dia 19 de maio, o Coringão conquistou o seu 27º Título Paulista, aumentando a sua hegemonia no estado!

Pouco menos de 2 meses depois, mais um título inédito: o da Recopa Sul-Americana, contra o São Paulo, conquistando, assim, a Tríplice Coroa Internacional (Libertadores, Mundial e Recopa) de forma invicta.

Mas o time não manteve o embalo.

Na Copa do Brasil, após passar susto nas Oitavas de Final, contra o Luverdensse, do Mato Grosso, (0 x 1 e 2 x 0), o Timão caiu para o Grêmio nas quartas, na decisão por pênaltis, após dois empates sem gols. O algoz da eliminação foi Pato, que perdeu o ultimo pênalti, após ridícula cavadinha que Dida não teve dificuldades em defender.

Mas a maior decepção foi no Campeonato Brasileiro, onde o Corintihans fez uma campanha pífia. Com 17 empates, o time chegou a 50 pontos (4 pontos a mais do que o Fluminense, rebaixado), chegando apenas na 10ª colocação.

Para finalizar o fiasco, o time perde para o lanterna Náutico, na última rodada, acabando com a série de 12 derrotas do time pernambucano.

A quatro jogos do fim do campeonato, depois de um segundo semestre conturbado e de maus resultados, Tite e a diretoria anunciam a não renovação do contrato para o ano seguinte.

Chegava ao fim a "Era Tite", uma das mais vitoriosas da história do clube.

Para o seu lugar, a diretoria anunciou a volta de Mano Menezes, que teria a missão de trazer os títulos de volta ao Parque São Jorge.

Porém, com ou sem título, 2014 foi um ano histórico para o Corinthians.

O maior sonho do Corinthiano, finalmente, se realizou: A inauguração do novo estádio!

2014 à 2015: Nova Casa. Novos Tempos


Compartilhe:

Voltar para o início da página


1910 à 1912: Um começo difícil

1913 à 1939: Três décadas. Três Tri's

1940 à 1954: O ataque dos 100 gols

1955 à 1976: O jejum e a Invasão

1977 à 1989: O fim do jejum e a Democracia

1990 à 2005 : Anos dourados

2006 à 2013: Da queda ao Bi Mundial

2014 à 2016: Nova Casa. Novos Tempos



Home  |  Todos os Jogos  |  História  |  Títulos  |  Jogos Históricos  |  Ídolos  |  Escudos  |  Curiosidades  |  Hino  |  + Corinthians  |  Blog  |  Mapa do Site

Quem sou  |  Contato  |  Minhas Fotos  |  Reconhecimento  |  Colaboradores  |  Créditos e Agradecimentos
© 2007 - 2016 Victor Hugo Brizotto Garcia

Envie seu comentário, crítica ou sugestão para contato@todopoderosotimao.com Curta o Todo Poderoso Timão no Facebook!
Siga o Todo Poderoso Timão no Twitter!
Siga o Todo Poderoso Timão no Instagram!