Corinthians - Curiosidades
   A Invasão Corinthiana
 CORINTHIANS
 TODOS OS JOGOS
 ÚLTIMOS JOGOS
 PRÓXIMOS JOGOS
 HISTÓRIA
 TÍTULOS
 JOGOS HISTÓRICOS
 ÍDOLOS
 ESCUDOS
 HINO
 CURIOSIDADES
 + CORINTHIANS
 MAIS FUTEBOL
 TODOS OS JOGOS
 DAS COPAS
 O AUTOR
 QUEM SOU
 CONTATO
 MINHAS FOTOS
 RECONHECIMENTO
 COLABORADORES

Compartilhe:


Nenhum comentário. Seja o primeiro a comentar.

A mais fantástica das Invasões!

5 de dezembro de 1976. Semifinal do Campeonato Brasileiro, contra o Fluminense.

Mais de 70 mil torcedores corintianos foram ao Maracanã prestigiar o time, no que ficou conhecida como "A Invasão Corinthiana". Foi o maior deslocamento de pessoas no mundo por um evento esportivo de todos os tempos.

A torcida estava em êxtase, empolgadíssima! A classificação para a semifinal tinha elevado os ânimos de jogadores e torcedores. Nos cinco últimos jogos da 3ª fase, cinco vitórias, uma delas contra o poderoso Internacional!

O Corinthians, vindo dos 22 anos de jejum de títulos, tinha a chance de chegar à final caso vencesse o Fluminense, clube favorito à vaga, pois tinha um timaço: Carlos Alberto Torres, Dorval, Dirceu, liderados pelo ex-alvinegro Roberto Rivellino.

Para promover a partida, houve um esforço coletivo entre os dois cartolas: Francisco Horta, então presidente do Fluminense, em acordo com Vicente Matheus, trouxe para São Paulo pelos menos 40 mil ingressos, pagos antecipadamente pelo Corinthians. Houve também provocações por parte do presidente do clube carioca (hoje sabemos que essas provocações faziam parte do combinado para atrair o público corinthiano).

No entanto, o presidente das laranjeiras cometeu um erro: menosprezou a fiel. Não acreditou que tantos corinthianos iriam ao Rio. E declarou: "Que os vivos saiam de casa e os mortos saiam das tumbas para torcer pelo Corinthians no Maracanã, porque o Fluminense vai ganhar a partida".

A Fiel saiu. Com suas bandeiras, camisas e o grito de apoio. Com a vontade de suar pelo time nas arquibancadas, de ser o 12º jogador, de estar lá, pelo Corinthians.

A semana anterior ao jogo foi tomada de grande comoção, poucas vezes vistas na história. Grupos de amigos, famílias, pessoas sozinhas... todos tinham o mesmo pensamento: ir ao Rio apoiar o Coringão contra a "Máquina Tricolor", muitos sem ingresso.

Desses 40 mil ingressos que chegaram a São Paulo, 1/4 foram para os organizadas (que reservaram mais de 200 ônibus) e metade para a Federação Paulista, que comercializaria com as agências de viagem. A agência de viagem Monark disse à Folha já ter reservado 220 ônibus, 60 kombis e 20 aviôes.

Na quarta-feira, as passagens da ponte aérea entre São Paulo e Rio de Janeiro já estavam esgotadas para sexta, sábado e domingo, que tinham em média 30 vôos por dia. Foram abertos mais 15 vôos extras para sexta e sábado, 26 para domingo (após o jogo) e 10 na segunda.

Ainda na quarta, o DNER (Departamento Nacional de Estradas de Rodagem) anunciou a "Operação Corinthians" na via Dutra.

Já na quinta os jornais exibiam a manchete que 50 mil corinthianos invadiriam o Rio. Nesse mesmo dia, foram enviados mais 15 mil ingressos para São Paulo.

E já a partir de sábado a Cidade Maravilhosa foi sendo tomada. Eles chegavam de carro, ônibus, avião e até de bicicleta. Calcula-se que, para isso, foram consumidos mais de 2 mihôes de litros de gasolina.

Segundo o livro "Diário da Invasão", de Ricardo Garrido, o número estimado de ônibus que foram ao RJ é de 1.278, sendo:
288 ônibus comerciais (Cometa, Única e Expresso Brasileiro).
250 ônibus de agênias de turismo (só a Monark fretou 220).
241 ônibus de torcidas organizadas, sendo 98 da Camisa 12, 88 da Gaviões da Fiel, 40 da Coração e 15 das demais.
500 ônibus vindo do interior e outros estados (200 do ABC, 80 de São José dos Campos, 80 de Taubaté, 50 de Campinas, 20 de Sorocaba, 10 de Itapenininga e mais 60 de outras localidades).

Contrariando a versão de que apenas (!?) 70 mil pessoas foram o RJ, ainda segundo o livro, estima-se que 93 mil fiéis foram o RJ:
17,2 mil de avião.
51 mil de ônibus.
25 mil de carro.
500 de trem e moto.
Pelo menos 1 a pé: Reinaldo Ribeiro, 27 anos, que saiu na quarta-feira de São Paulo.

Não precisa dizer que não tinha hotel pra esse povo todo, né? Muitos dormiram na praia. Mas não tinha problema algum. Tudo era festa!

Assim como muitos não conseguiram entrar, visto que não tinham ingressos.

E dentro do imponente Maracanã, a torcida do Corinthians dividiu o estádio ao meio. Aliás, há controvérsias de que o estádio estava realmente dividido. Muitos relatos dizem que, se nas arquibancadas a divisão era igual, nas cadeiras o Corinthians ocupava pelo menos 2/3, mostrando que a torcida corinthiana pode ter sido maioria naquele domingo histórico, o que era a impressão de boa parte da imprensa.

Para corroborar isso, ainda segundo o citado livro, a divisão estimada foi a seguinte:
Arquibancadas: 55 mil para corinthianos (45 mil em SP, 10 mil no RJ) e 55 mil para tricolores.
Cadeiras e Camarotes: 18 mil para corinthianos (7 mil em SP e 11 no RJ, a maioria de cambistas) e 6 mil para tricolores.
Geral: 10 mil para tricolores.
Concessionárias: 500 ingressos.
TOTAL: 73 mil corinthianos e 71 mil tricolores.

O jogo

E já que estamos no estádio, vamos ao que interessa: o jogo!

O clima era de decisão: jogo pegado, chuva no gramado e o estádio completamente dividido entre as duas torcidas.

No total, 146.043 torcedores acompanharam o jogo, sendo o 2º maior público da história do Corinthians.

A entrada do Corinthians em campo fui uma coisa sobrenatural, de arrepiar, a maior entrada de campo da história! O foguetório durou 3 minutos, tendo a companhia de bandeiras, do grito da fiel e de Osmar Santos, que narrava o evento histórico com a emoção que o evento merecia.

Dentro de campo, jogo difícil. No tempo normal, Carlos Alberto Pintinho marcou aos 19 minutos de primeiro tempo. Logo depois, aos 29, Ruço,o beijinho doce, empata para o Timão. A chuva já caía no estádio.

No intervalo da partida, a chuva piorou de tal forma que o gramado ficou todo prejudicado. Houve quem defendeu o adiamento da partida, prontamente refutada por Vicente Matheus: a torcida da Corinthians faz isso e vão adiar o jogo? De jeito nenhum. Claro que ele sabia que o campos naquelas condições era melhor para o Timão, inferior tecnicamente.

E depois de quase meia hora, os times votaram a campo para o segundo tempo. Mas não teve mais jogo. Com o empate ao fim do tempo regulamentar, o jogo foi para a prorrogação, onde também não teve jogo.

Então vieram os pênaltis. Agora a superioridade carioca não mais existia. Pelo contrário: o fator psicológico era todo do Coringão.

Que abriu o placar com Neca.

Rodrigues Neto bateu e Tobias defendeu, mas o árbitro mandou voltar. Na nova cobrança, Tobias defendeu novamente!

Ruço cobrou e fez 2 x 0 Corinthians!

Carlos Alberto Torres cobrou e Tobias defendeu mais uma!

Moisés fez e deixou o jogo quase decidido.

Mas Durval converteu o primeiro pênalti do Fluminemse.

Coube a Zé Maria converter o seu e pôr números finais a partida: 4 x 1 para o Timão e classificação histórica para a final.

A Fiel vai a loucura no Maracanã. A volta a São Paulo foi festa e alegria! Muitos não foram trabalhar na segunda, esgotados que estavam pela desgastante viagem.

A festa só não foi maior porque o time perdeu a final para o Inter uma semana depois, ao perder por 1 a 0. Ainda não fora daquela vez.

Várias revistas e matérias exaltaram e destacaram a invasão dias e semanas depois do ocorrido.

Ali começou a mística da torcida do Corinthians. Claro que a torcida é fiel desde 1910, mas esse episódio serviu para mostrar de vez a paixão que o corinthiano sente pelo seu time.

Ver "Jogos Históricos - Corinthians 1 x 1 Fluminense - A Invasão Corintiana (1976)".


1976: a mais fantástica das invasões


Compartilhe:

Seja o primeiro a comentar:

Nome*

Comentário*


Nenhum comentário


Todos os Jogos (Planilha com todos os jogos da história do Corinthians)


Uniforme

Terceiras Camisas

"Timão" e o "Campeão dos Campeões"

São Jorge e o Mosqueteiro


As Temporadas do Corinthians

Competições - Temporadas

Competições - Melhores Desempenhos

Competições - Desempenhos Detalhados

As Finais do Corinthians


Os maiores artilheiros da história do Corinthians

Quem mais jogou com a camisa do Timão

Os maiores "garçons" do Timão

Os Maiores Campeões pelo Corinthians

Os Maiores Ídolos

Os Maiores Goleiros

Corinthianos artilheiros

Os Bustos do Parque São Jorge

Os estrangeiros que jogaram no Timão

Quem mais treinou o Timão

Todos os Técnicos

Técnicos - do Corinthians para a Seleção

Todos os Presidentes


A Democracia Corinthiana

A Invasão Corinthiana - 1976

Outras Invasões


Primeiros

Recordes

Gols Históricos

Maiores goleadas aplicadas

Maiores públicos do Corinthians

Maiores Invencibilidades

A Taça dos Invictos

As Escalações Titulares mais Escaladas

Mata-mata: Corinthians x Outros

Os Estádios dos Títulos

Os Adversários dos Títulos

Os Técnicos dos Títulos

Campeão de Listrado

Títulos: Finais x Pontos Corridos

Títulos invictos

Fita Azul do Futebol Brasileiro

Taça "O Mais Querido do Brasil" - 1955


As "Casas" do Corinthians

Os Projetos fracassados de estádios

Os Mosaicos do Pacaembu

Os Mosaicos da Arena

A Seleção Brasileira nos Estádios do Corinthians

Neo Química Arena - Eventos Diversos


Livros sobre o Corinthians

Filmes e documentários sobre o Corinthians

Músicas sobre o Corinthians


As Torcidas Organizadas

O Time das viradas

Os Jogos no Aniversário

Os Jogos contra o Corinthian inglês

Os Jogos contra Seleções Nacionais

Os Jogos contra o Barcelona

Os Jogos com portões fechados

Quando o futebol parou

Eliminações do segundo jogo na Copa do Brasil

O dia em que o Timão foi Brasil

Campeão sem jogar

O Torino e a Camisa grená

Os Patrocínios

A morte de Lidu e Eduardo

A quase tragédia no Equador

Osso duro de roer

A Pena do galo verde

Ganhando na moedinha

Corinthianos em Copas do Mundo



HOME  |  TODOS OS JOGOS  |  HISTÓRIA  |  TÍTULOS  |  JOGOS HISTÓRICOS  |  ÍDOLOS  |  ESCUDOS  |  HINO  |  CURIOSIDADES  |  + CORINTHIANS  |  MAPA DO SITE

QUEM SOU  |  CONTATO  |  MINHAS FOTOS  |  RECONHECIMENTO  |  COLABORADORES  |  CRÉDITOS E AGRADECIMENTOS

© 2007 - 2021 VICTOR HUGO BRIZOTTO GARCIA

Envie seu comentário, crítica ou sugestão para contato@todopoderosotimao.com Curta o Todo Poderoso Timão no Facebook!
Siga o Todo Poderoso Timão no Twitter!
Siga o Todo Poderoso Timão no Instagram!