Corinthians - Curiosidades
   São Jorge e o Mosqueteiro
 Visite o Blog!
 Home
 Corinthians
 Todos os Jogos
 Últimos Jogos
 Próximos Jogos
 História
 Títulos
 Jogos Históricos
 Ídolos
 Escudos
 Curiosidades
 Hino
 + Corinthians
 Blog
 Mais Futebol
 Almanaque das
 Copas
 Todos os Jogos
 das Copas
 O Autor
 Quem sou
 Contato
 Minhas fotos
 Reconhecimento
 Colaboradores
 Outros Sites
 Site Oficial
 Outros Links

Compartilhe:

Dois símbolos que representam bem o Espírito Corinthiano.

São Jorge

*Texto adaptado, baseado no texto de Fábio Petrillo, do site Loucos por ti.

O acaso ligou a trajetória do Sport Club Corinthians Paulista a São Jorge. Durante seus 90 anos de história, glórias e percalços, o Corinthians incorporou publicamente o estigma de time guerreiro, que jamais desanima e persegue incansavelmente seus objetivos, também atribuídos ao santo.

Associar as características das equipes corintianas à legendária história do santo guerreiro não foi uma árdua tarefa para imprensa e torcida paulistas. Mas o que poucos sabem é que estes dois símbolos de garra e obstinação foram unidos por uma coincidência histórica e não por suas semelhanças.

Em 1926, o Corinthians adquiriu a sua sede própria: um terreno, localizado hoje no bairro do Tatuapé, que ficava exatamente no extinto Parque São Jorge. Do antigo parque, nada restou, só o nome do pequeno estádio. Mas o clube resolveu adotar o santo como parte de sua história.

Mas há quem conteste esta versão. Segundo o monsenhor Arnaldo Beltrame, responsável pela capela do clube, São Jorge era o padroeiro do Corinthians Football Club, equipe inglesa que, em visita ao Brasil, inspirou o nome do Corinthians Paulista, em 1910.

Ainda conforme os relatos do monsenhor Beltrame, os fundadores do Corinthians brasileiro resolveram também adotar o mesmo padroeiro da fonte de inspiração inglesa.

Mas a união definitiva entre time e santo se daria no fatídico ano de 1974. Após a frustrante derrota no Campeonato Paulista daquele ano para o arqui-rival Palmeiras, o desespero do corintiano, envolto na agonia de 20 anos sem títulos, transbordava.

Foi nesta época que o compositor Paulinho Nogueira gravou "Ai Corinthians", que emplacou sem dificuldade nas paradas de sucesso. Nos versos da composição dedicada ao sofrimento corintiano não poderia faltar a citação ao padroeiro São Jorge: "...Oh, são 20 anos de espera. Mas meu São Jorge me dê forças, para poder um dia enfim, descontar meu sofrimento em quem riu de mim".

Este momento marcou o efêmero apogeu do relacionamento entre torcida corintiana e São Jorge. Depois da quebra do jejum de títulos, em 1977, os torcedores alvinegros trocaram o apego ao santo pelo auto-reverência. Os anos de sofrimento na fila (quando curiosamente o número de corintianos aumentou) tornaram a torcida alvinegra mais mítica do que qualquer outro símbolo. Foi nesta época que surgiu a expressão "Fiel torcida".

Em 2011, o Corinthians homenageia oficialmente o Santo, estampando a sua imagem na terceira camisa do time, de cor grená.



Mosqueteiro

Existem duas versões sobre a origem do nosso mascote oficial.

A primeira data de 1913, quando o Corinthians saiu da várzea e conseguiu uma vaga para disputar o Campeonato Paulista daquele ano, contra outros três clubes, apelidados de "Três Mosqueteiros": Americano, Germânia e Internacional. O Corinthians seria o quarto mosqueteiro, como D'Artagnan, do famoso romance do Alexandre Dumas.

Mas a versão mais difundida e tida como verdadeira vem de 1929.

No dia 1º de maio daquele ano, o Corinthians conseguiu a sua primeira vitória internacional, contra o Barracas, da Argentina, em um amistodo disputado no Parque São Jorge.

O Timão venceu por 3 x 1, gols de Aparício, Rodrigues e Rato, fazendo o jornalista Tomás Mazzoni, do jornal "A Gazeta", vibrar com a fibra de mosqueteiros com que os jogadores do Timão jogaram aquele certame.

Ver "Jogos Históricos - Corinthians 3 x 1 Barracas (ARG) - A primeira vitória internacional (1929).



Compartilhe:

Todos os Jogos (Planilha com todos os jogos da história do Corinthians)

Uniforme

Terceiras Camisas

"Timão" e o "Campeão dos Campeões"

São Jorge e o Mosqueteiro

Os maiores artilheiros da história do Corinthians

Quem mais jogou com a camisa do Timão

Primeiros

Recordes

Maiores goleadas aplicadas

Maiores públicos do Corinthians

Maiores Invencibilidades

As Escalações Titulares mais Escaladas

Mata-mata: Corinthians x Outros

Os Estádios dos Títulos

As "Casas" do Corinthians

Os Mosaicos do Pacaembu

Os Mosaicos da Arena

As Invasões Corinthianas

Os Projetos fracassados de estádios

Os Jogos no Aniversário

Os Jogos contra o Corinthian inglês

Os Jogos contra o Barcelona

Os Jogos com portões fechados

O dia em que o Timão foi Brasil

Técnicos - do Corinthians para a Seleção

Campeão sem jogar

Fita Azul do Futebol Brasileiro

O Torino e a Camisa grená

Os Patrocínios

O Time das viradas

Os Bustos do Parque São Jorge

A morte de Lidu e Eduardo

A quase tragédia no Equador

Osso duro de roer

A Pena do galo verde

Ganhando na moedinha

Todos os Presidentes

Títulos invictos

Gols históricos no Brasileirão

Corinthianos artilheiros

Corinthianos em Copas do Mundo



Home  |  Todos os Jogos  |  História  |  Títulos  |  Jogos Históricos  |  Ídolos  |  Escudos  |  Curiosidades  |  Hino  |  + Corinthians  |  Blog  |  Mapa do Site

Quem sou  |  Contato  |  Minhas Fotos  |  Reconhecimento  |  Colaboradores  |  Créditos e Agradecimentos
© 2007 - 2017 Victor Hugo Brizotto Garcia

Envie seu comentário, crítica ou sugestão para contato@todopoderosotimao.com Curta o Todo Poderoso Timão no Facebook!
Siga o Todo Poderoso Timão no Twitter!
Siga o Todo Poderoso Timão no Instagram!